Obturador e Diafragma

Fotografia vem do grego e significa escrever com a luz.

Não à toa, conhecer os modos de controle de entrada da luz na câmera é a parte mais importante para a fotografia. Obturador, abertura do diafragma e ISO são alguns dos componentes mais conhecidos e que andei aprendendo estas semanas. Neste post vou falar do obturador e diafragma e no próximo post falo do ISO e alguns exemplos de combinação destes três fatores juntos.

Como disse no post anterior, não gosto de ler manuais de equipamentos, mas depois de passar vergonha por não saber das várias utilidades da minha câmera DSLR, decidi ler. Bom, a primeira coisa que fiz foi entender o visor e seus ícones, bem como os botões para ajustes rápidos de velocidade do obturador, ISO e outros. O manual certamente foi meu melhor amigo. Larga de preguiça e vá ler seu manual!

obturador

Bom, quem leu o post anterior sabe o que é o sensor da câmera e qual a importância dele para o tamanho da captação da imagem e qualidade da fotografia. Pois bem, o obturador protege este sensor. É como se fosse um tipo de cortina, que abre e fecha para a entrada da luz. Dependendo do modelo da câmera, o obturador se encontra em uma posição diferente e também pode variar de formato. As câmeras mais novas tem um formato de persiana e, então, abre-se verticalmente. Mas nas mais antigas o obturador era circular, parecido com o diafragma.

O tempo que o obturador abre e fecha é o tempo que o sensor – antigamente, filme – fica exposto à luz. Na minha câmera o tempo de exposição vai de 30” (trinta segundos) a 1/4000 (quatro mil fração de segundo).

Velocidade-do-Obturador

Quando menor o tempo – maior for a fração de segundo – mais rápido o obturador vai abrir e fechar e por isso menos luz vai entrar. Já quando maior for o tempo, mais o sensor ficará exposto e por isso a necessidade de um tripé ou qualquer apoio fixo para a câmera. É que neste caso, como o sensor demora mais tempo recebendo a luz para formação da imagem, há mais chances da foto sair tremida no caso da câmera e/ou objeto não estar parado.

TESTANDO

Teste-Velocidade-do-Obturador

Mas não é só o obturador responsável pelo controle de entrada da luz. Existe uma relação direta com o diafragma.

diaafragma

O diafragma é um dispositivo localizado na lente (objetiva fotográfica) que controla a quantidade de luz a ser recebida. Comparando com nossa visão, o diafragma é como se fosse nossa pupila que contrai quando tem muita luz e dilata quando tem pouca.

Nas câmeras, o diafragma é conhecido pela letra f e possui uma escala que começa em 1 e segue passando por 1.4 1, 1.4, 2, 2.8, 4, 5.6, 8, 11, 16, 22, 32…

O diafragma é medido da seguinte forma:

diafragma

A partir da imagem acima, vê-se que a distância focal também é envolvida nesse valor de abertura do diafragma. Isso explica aquela velha dúvida do “Como assim 1.4 é maior que uma abertura 2.8?”.

Como vimos, o f não corresponde diretamente ao diâmetro e sim à divisão mostrada. Então, dada a situação de uma mesma distância focal, quanto menor for o diâmetro de abertura do diafragma maior vai ser o número f e vice-versa.

TESTANDO

Teste-Abertura-Diafragma

Falamos de distância focal, certo? Antes de aprofundar nisto, acho bem legal entender:

PROFUNDIDADE-DE-CAMPO

De modo geral, é o seguinte: quanto maior é profundidade de campo, mais diferentes planos ficam nítidos e menor é o foco. Quanto menor é a profundidade de campo menos planos ficam nítidos e maior é o foco.

distância-focal

O diafragma gera diferentes profundidades de campo. Funciona assim: Quanto maior for a abertura do diafragma, mais intensidade de luz e menor vai ser a profundidade de campo e vice-versa. No Wikipédia tem uma ilustração que explica muito bem o porquê disso acontecer.

Não esqueçam que quanto maior o número f menor é a abertura e vice-versa.

CASO 1: Se queremos algo mais focado (com pouca profundidade) aumentamos a abertura. Quanto mais aberto o diafragma estiver, menor vai ser a profundidade e aí mais foco se tem de algum objeto.

CASO 2: Se a ideia é fotografar algo estático e ao mesmo tempo ter uma grande profundidade de campo, como uma paisagem, a abertura pode diminuir e a velocidade do obturador pode ser um pouco mais lenta.

Porém, independentemente da abertura escolhida, a proximidade que se está do objeto a ser fotografado é determinante para se ter uma grande ou baixa profundidade de campo na fotografia. Quanto mais próximo se está do assunto a se fotografar, menor será a profundidade de campo que se obterá.

macete-foco

Entender isso pode ser um pouco complicado para nós que estamos no início. Acho que praticando isso vai ficando automático. Entendendo como funcionam estes dois elementos importantes na câmera, o que resta é fazer a relação dos dois.

Se ainda não conferiu a parte I do post e quer conferir o que é um DSLR é só clicar aqui.

No próximo post vou falar sobre o ISO e alguns testes de fotografia combinando os três elementos obturador + diafragma + ISO.

Anúncios

2 comentários sobre “Obturador e Diafragma

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s